Operação contra supostas fraudes em jogos de futebol cumpre mandados em Goiás e mais quatro estados


Jogos de Goiás e Flamengo estão entre os investigados. Partidas da Série A e B do Brasileirão incluem a lista; confira. Operação contra supostas fraudes em jogos de futebol cumpre mandados em Goiás e mais estados Divulgação/MPGO A O Ministério Público de Goiás (MP-GO), deflagrou nesta terça-feira (28), a terceira fase da Operação Penalidade Máxima, que investiga supostas fraudes em jogos de futebol. São cumpridos 10 mandados de busca e apreensão em 8 municípios de Goiás e mais quatro estados. Compartilhe no WhatsApp Compartilhe no Telegram Jogos de Goiás e Flamengo estão entre os investigados. Segundo o MP, as partidas dos campeonatos nacionais são do segundo turno e as dos estaduais aconteceram em janeiro e fevereiro. São investigadas possíveis fraudes nos resultados das seguintes partidas: Avaí x Flamengo, pela Série A do Brasileirão de 2022; Náutico x Sampaio Corrêa, pela Série B do Brasileirão de 2022; Náutico x Criciúma, pela Série B do Brasileirão de 2022; Goiânia x Aparecidense, pelo Goianão de 2023; Goiás x Goiânia, pelo Goianão de 2023; Nacional x Auto Esporte, pelo campeonato Paraibano de 2023; e Sousa x Auto Esporte, pelo campeonato Paraibano de 2023. LEIA TAMBÉM: Romarinho: Saiba quem é o ex-jogador do Palmeiras acusado de aliciar atletas e financiar fraudes em jogos de futebol VEJA: Planilha mostra fluxo de pagamentos a jogadores em esquema de manipulação de jogos de futebol Manipulação no futebol: entenda quem são os réus, como funcionava o esquema e o que está sendo investigado A investigação apura que um grupo criminoso oferecia dinheiro para jogadores receberem punições, como cartão amarelo, vermelho, cometimento de pênalti ou placar parcial na partida. Desta forma, os integrantes do esquema lucravam em sites de apostas esportivas. O g1 pediu um posicionamento aos clubes: Avaí, Flamengo, Náutico, Sampaio Corrêa, Náutico, Aparecidense, Goiás, Goiânia, Nacional e Auto Esporte. Ao g1, o Criciúma informou que o time não foi acionado e o jogador expulso da partida era do Náutico. O Sousa explicou que não foi notificado e está tranquilo porque não compactua com essa prática e estará à disposição da Justiça para qualquer esclarecimento. Os demais clubes não responderam até a última atualização desta reportagem. Mandados A operação é feita por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Coordenadoria de Segurança Institucional e Inteligência (CSI). A ação conta com apoio da Polícia Militar de Goiás, do Cyber Gaeco do Ministério Público de São Paulo e dos Gaecos dos Estados do Mato Grosso do Sul, Paraíba e Rio de Janeiro. Os mandados são cumpridos em Goiânia (Goiás), Bataguassu (Mato Grosso do Sul), Campina Grande (Paraíba), Nilópolis (Rio de Janeiro), Santana do Parnaíba (São Paulo), São Paulo, Volta Redonda (Rio de Janeiro) e Votuporanga (São Paulo). VEJA MAIS: Chamadas de vídeo com apostador, comprovantes de pagamento e mensagens: veja provas apontadas pelo MP que ligam jogadores a esquema de manipulação de jogos Robôs, contas em nomes de terceiros e laranjas para receber valores: veja estratégias para fraude em apostas no futebol Penalidade Máxima A terceira fase da operação é um desdobramento das fases I e II, deflagradas em fevereiro e abril deste ano. Segundo o MP-GO, até o momento, três denúncias recebidas pelo Poder Judiciário, com 32 pessoas acusadas de crimes de integrar organização criminosa e corrupção em âmbito desportivo. Assista abaixo como funcionava o esquema, com base nas duas primeiras fases da operação: Manipulação de jogos de futebol: entenda como funcionava o esquema 📱 Veja outras notícias da região no g1 Goiás. 📱 Participe da comunidade do g1 Goiás no WhatsApp e no Telegram. VÍDEOS: últimas notícias de Goiás

Dino

Deixe um comentário