‘Verde Gás’: livro sobre distopia em João Pessoa discute sobre radicalismo na política e religião


Obra distópica do escritor Ricardo Oliveira será lançada nesta quinta-feira (14), na capital paraibana. Livro 'Verde Gás' do escritor Ricardo Oliveira mostra João Pessoa distópica Diogo Almeida/g1 O escritor paraibano Ricardo Oliveira lança nesta quinta-feira (14) o livro ‘Verde Gás’, que se passa em uma João Pessoa distópica. Na história, o protagonista é um arquiteto que viveu a vida toda em um condomínio fechado, de luxo, e é surpreendido quando é o único sobrevivente de um ataque de gás tóxico. O livro ‘Verde Gás’ será lançado em João Pessoa, às 19h desta quinta-feira (14), na Livraria A União, e também no domingo (17), às 18h, na Livraria Leitura do Manaíra Shopping. Em entrevista à rádio CBN João Pessoa, o escritor comentou que o radicalismo político e religioso, especialmente durante a pandemia do coronavírus, tem muita evidência na obra. “Esses discursos, que para a gente pareciam muitos absurdos, ressoam na história de outras formas. Aparece também com o futuro, o que tem a ver com a possibilidade desse fim? Essa discussão sobre esse radicalismo na esfera política e religiosa está muito presente neste livro”. Enredo do livro Após perceber que todos os conhecidos, familiares e amigos de infância morreram, o protagonista decide permanecer no condomínio e cuidar do local, reformar as casas e os jardins afetados pelo gás. Nesse processo, além de revisitar memórias, o personagem reflete sobre sua relação com a fé e a política. Em entrevista à rádio CBN João Pessoa, nesta quinta-feira (14), Ricardo Oliveira disse que, apesar da relação com a pandemia, o livro começou a ser escrito em 2018. Ele relatou que, quando surgiu a pandemia do coronavírus em 2020, chegou a se surpreender com a relação entre obra e realidade. “A ideia em si do ataque de gás em João Pessoa foi em 2018, antes da pandemia, e aí eu me assustei muito quando chegou a pandemia, por uma razão muito específica: não é necessariamente um spoiler, está basicamente no começo do livro, que o protagonista sobrevive porque está de máscara”. Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba

Dino

Deixe um comentário