João Pessoa é a cidade da Paraíba onde mais choveu em 2023; veja ranking


Já em Campina Grande, choveu três vezes menos do que na capital paraibana. Dados são da Aesa. Moradores ficam ilhados após casas alagarem durante as chuvas em João Pessoa. Reprodução/TV Cabo Branco João Pessoa foi a cidade da Paraíba onde mais choveu durante todo o ano de 2023 (veja na tabela abaixo o ranking dos 10 municípios com mais chuvas). Os dados são da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa) e indicam que, entre os meses de janeiro e dezembro, as chuvas no município somaram cerca de 2.164 milímetros, sendo 469 milímetros a menos do que em 2022. 📱Compartilhe esta notícia pelo Whatsapp No início do ano, em janeiro, as chuvas na capital paraibana causaram um acidente e deixaram ruas alagadas. Os alagamentos ainda se repetiram em outros meses. Em abril, por exemplo, o período chuvoso deixou a Defesa Civil em estado de alerta. Já no dia 7 de julho, João Pessoa se destacou por ser a cidade do Nordeste com o maior volume de chuvas. 📱Compartilhe esta notícia pelo Telegram Pitimbu é a segunda cidade que soma os maiores índices pluviométricos do ano, com 2.073 milímetros de chuvas em 2023. A terceira é Alhandra, com 2.046,4 milímetros. Ranking de chuvas na Paraíba em 2023 Campina Grande tem quase um terço a menos de chuvas e volume três vezes menor do que João Pessoa O volume anual de chuvas em Campina Grande foi de 835,6 milímetros, quase um terço a menos do que foi registrado em 2022, de 1.092,3 milímetros. A quantidade de chuvas registradas no município, situado no Agreste da Paraíba, é três vezes menor do que a notificada em João Pessoa. No fim de junho, a cidade registrou vários pontos de alagamentos e quedas de árvores após fortes chuvas. Campina Grande registra alagamentos após fortes chuvas Divulgação/Defesa Civil Sertão teve chuva de granizo e incêndio atingiu a caatinga As cidades do Sertão paraibano também registram fortes chuvas em alguns períodos do ano. Em janeiro, uma chuva de granizo atingiu o município de Santana dos Garrotes. Por outro lado, resultado das mudanças climáticas e também e facilitado pelo relevo da região, um incêndio no entorno do Parque Estadual da Serra da Santa Catarina durou 15 dias. Não houve registro de pessoas, animais de rebanho e silvestres machucados ou mortos. Porém, perto do local atingido, foram vistos bandos de macacos e cobras. As chamas também não avançaram para dentro dos limites territoriais do Parque. Entre os 270 hectares totalmente ou parcialmente atingidos, estavam 21 propriedades, sendo 12 no município de São José de Piranhas e 9 em Nazarezinho. Incêndio atinge área de caatinga em três municípios do Sertão da Paraíba Corpo de Bombeiros do Sertão da Paraíba Veja a previsão de chuvas para primeiro trimestre de 2023 No primeiro trimestre de 2024, as chuvas na Paraíba devem variar entre dentro da normalidade para o período e acima da média histórica em algumas localidades. A previsão também é da Aesa. A tendência é de os índices tenham uma em até 25% para mais ou para menos em relação à média. No Alto Sertão a média do trimestre é 480,3 milímetros, e a quantidade esperada pode ficar entre 360,2 e 600,4 milímetros. Já no Sertão a climatologia do período é de 385 milímetros, podendo ficar entre 360,2 e 600,4 milímetros. A previsão para o Cariri/Curimataú no período de janeiro a março do próximo ano é de 204 milímetros, podendo ficar entre 153 e 255. As outras regiões do Estado (Litoral, Brejo e Agreste) permanecem fora do seu período mais chuvoso, que concentra-se entre os meses de abril e julho. Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba

Dino

Deixe um comentário