Após três dias do incêndio, loja volta a pegar fogo no Centro de Caruaru; prédio será demolido


Primeiro andar do estabelecimento na Rua Tobias Barreto, perto do camelódromo, voltou a pegar fogo nesta quarta-feira (3). Prédio volta a pegar fogo no centro de Caruaru Franklin Portugal/TV Asa Branca Um novo foco de incêndio foi registrado no início da tarde desta quarta-feira (3) no estabelecimento comercial que pegou fogo na madrugada da segunda-feira (1º) em Caruaru, no Agreste. A loja, que fica na Rua Tobias Barreto, no Centro, será demolida porque a estrutura do prédio corre risco de desabamento, de acordo com a Defesa Civil de Caruaru. Ainda na tarde desta segunda (1º), uma equipe do Corpo de Bombeiros esteve no local para conter as novas chamas no primeiro andar do prédio. O local, que fica perto do camelódromo, vendia itens como plásticos, tecidos, lonas e espuma. LEIA TAMBÉM: VÍDEO: incêndio atinge loja de plásticos e outros dois estabelecimentos após a virada do ano em Caruaru Rua Tobias Barreto, em Caruaru, continua interditada após incêndio em loja de plástico A previsão da Defesa Civil é de que o prédio onde as chamas começaram seja demolido à noite. A Rua Tobias Barreto, onde a loja fica localizada, está interditada desde que o primeiro foco de incêndio foi registrado há três dias. Incêndio começou segunda (1º) Incêndio atinge loja de plásticos e outros dois estabelecimentos em Caruaru O incêndio começou logo após a virada do ano, na madrugada da segunda-feira (1º). As chamas começaram pouco depois da meia-noite do primeiro dia do ano, na Rua Tobias Barreto, e atingiu outras duas lojas vizinhas. O Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco informou que foi acionado por volta das 0h50. Testemunhas informaram que o fogo começou na parte de cima da loja, no depósito, e se espalhou. "O fogo iniciou em uma loja de plástico e se estendeu para mais dois estabelecimentos na retaguarda", disse a corporação em nota. A Rua Tobias Barreto continua interditada até esta quarta-feira (3). O Corpo de Bombeiros informou que estava sendo realizado um trabalho de rescaldo por causa do material que foi queimado e que há risco de desabamento do prédio.

Celimar de Meneses

Deixe um comentário