Dicas para ornamentar a casa para o Natal e receber a família e os amigos


A decoração de uma mesa posta ou mesmo de um espaço natalino pode proporcionar um clima acolhedor e especial. Divulgação / Casas Cabral Com a proximidade do fim do ano, logo vem à cabeça os momentos de reunir a família e os amigos para confraternizar, não só em torno da mesa, mas em um ambiente aconchegante para recebê-los. Criar essas memórias afetivas também faz parte da magia do Natal e das festas de fim de ano, e a decoração da casa pode proporcionar um clima acolhedor e especial. Antecipar a ornamentação dos ambientes, escolhendo peças-chaves de artigos de bom gosto e qualidade, com antecedência, é a primeira dica para acertar nas escolhas. Abaixo a gerente da Casas Cabral, Jucielma Freire, vai te dar algumas dicas valiosas para deixar tudo lindo e encantador para receber bem em casa. Árvore de Natal Não se tem dúvida de que a Árvore de Natal é o grande destaque da decoração natalina. Símbolo que representa o agradecimento pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, combina com qualquer decoração, e o melhor, não precisa ser usada apenas no dia da festa. Pode ficar durante todo o mês de dezembro, ornamentando a casa, sendo desmontada, segundo a tradição católica, no Dia de Reis, em seis de janeiro. Há quem prefira montar até um mês antes do Natal, ainda em novembro, para curtir um pouco mais o ornamento. “Na Casas Cabral é possível encontrar a unidade de porta-guardanapos em formato de Pai Noel, de louça, por R$ 13,90, e um conjunto de argolas de guardanapo com quatro unidades, em diversas cores, por R$ 46,80”, orientou a gerente que também dá outras dicas. “Para compor a mesa, temos diversos modelos de sousplat nas cores natalinas, por R$ 16,99, a unidade; conjuntos de guardanapos de algodão, em xadrez natalino, com quatro unidades, por R$ 48,90; conjuntos de seis taças em vidro para água, em diversas cores, por R$ 104,99 e para espumantes, por R$ 164,99; e jogo de jantar em porcelana, com 20 peças, por R$ 345, entre diversos outros itens”, enfatizou Jucielma.

Celimar de Meneses

Deixe um comentário