Familiares participam de audiência de instrução do suspeito que matou mãe e filha estranguladas com fita plástica


Padrasto da menina foi preso pelo crime. Expectativa da família é de que o suspeito possa ir a júri popular. Suilam e Vitória foram mortas em Caruaru e suspeito é o padrasto da menina Reprodução/Arquivo pessoal Familiares de Suilam Mirelle de Almeida, e da filha, Vitória Tauani participaram na manhã desta quinta-feira (11), em Caruaru, Agreste de Pernambuco da primeira audiência de instrução no caso do suspeito que matou mãe e filha estranguladas com fita plástica. De acordo com a polícia, elas foram mortas no domingo, dia 10 de setembro de 2023, e o suspeito do crime, padrasto da menina, foi detido no dia seguinte. "Em depoimento, o autor confessou a prática do crime de homicídio, e narrou detalhes de como ocorreu. A perícia foi concluída pelo IML Recife, constatando violência sexual contra a vítima menor", informou o delegado Eric Costa ao g1. Familiares das vítimas disseram à TV Asa Branca, que está foi a primeira audiência e que o processo segue. A expectativa da família é de que o suspeito possa ir a júri popular e que ele possa ser condenado pelos crimes cometidos. À TV Asa Branca entrou em contato com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) para obter informações sobre o andamento o caso, mas até o momento desta publicação não teve retorno. Entenda Corpos de mãe e filha foram encontrados no residencial Xique-xique Caruaru no Face No dia 20 de setembro de 2023, a Polícia Civil divulgou que concluiu o inquérito a respeito do duplo feminicídio envolvendo mãe e filha, de 49 e 10 anos, em Caruaru, no Agreste. As duas foram mortas dentro de casa, no residencial Xique-xique, e o suspeito confessou o crime à polícia. As investigações apontam que, além de matar as vítimas estranguladas com uma fita plástica, o autor estuprou a criança. Durante as investigações, a polícia informou que já haviam sido obtidos elementos que comprovavam a autoria do crime. Na tentativa de simular um latrocínio, caracterizado por roubo seguido de morte, o suspeito furtou objetos da casa no dia do crime. Esses objetos foram recuperados pela polícia. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Eric Costa, mãe e filha estavam com uma espécie de fita com trava no pescoço, o que teria provocado o estrangulamento. Dentro do carro do suspeito, no momento da prisão na segunda-feira (11), a polícia encontrou o mesmo material utilizado no crime. O suspeito passou por audiência de custódia na terça-feira (12) e foi encaminhado à Penitenciária Juiz Plácido de Souza sob prisão preventiva.

Celimar de Meneses

Deixe um comentário