Em 7 horas, ventania derruba mais árvores do que o esperado para o ano, em João Pessoa


Esta foi a maior quantidade de árvores derrubadas por ventania dos últimos 20 anos, segundo série histórica da Semam. Ventania de 74km/h derruba árvores e causa transtornos em João Pessoa Em apenas sete horas da madrugada desta sexta-feira (16), João Pessoa teve mais árvores derrubadas por uma ventania do que o esperado para o ano de 2024, segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam). Os ventos, que chegaram a 74 km/h, derrubaram, entre 0h e 7h, pelo menos 62 árvores, 12 a mais do que a média anual, que é de 50 árvores. Segundo a Semam, esta é a maior quantidade de queda de árvores já registrada em um único dia na série histórica dos últimos 20 anos. A ventania e as chuvas registradas em João Pessoa causaram uma série de transtornos em diversos bairros da cidade. Árvores, placas e tapumes de obras caíram, semáforos pararam de funcionar, voos foram desviados, e a rede elétrica também foi afetada. Veja a previsão do tempo na Paraíba Árvores caíram em cima de carros estacionados na calçada de uma escola municipal no bairro Jardim Oceania Zuila David/TV Cabo Branco Segundo os dados do Iate Clube da Paraíba, os ventos registrados na madrugada foram de em média de 27 nós, que equivale a 50 km/h, com um pico de 40 nós, que equivale a 74 km/h. Conforme o órgão, em condições normais a média varia de 8 a 10 nós, que é entre 14 e 18 km/h. Pelo menos cinco árvores tombaram na Mata do Buraquinho, caindo sobre a calçada da Avenida Pedro II, na Torre Antonio Vieira/TV Cabo Branco Conforme a Semam, as árvores caíram em diversas ruas, escolas, no Parque Sólon de Lucena, na Lagoa, e em bairros da capital. 40% das árvores que caíram eram de grande porte. O bairro onde mais houve árvores tombadas foi no Jardim Oceania, principalmente nos parques Parahyba I e II. Na Avenida Pedro II, no bairro da Torre, pelo menos cinco árvores da Mata do Buraquinho caíram por cima do muro do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e interditaram a calçada. Na Avenida Camilo de Holanda, também na Torre, galhos de árvores mais finas caíram na via, assim como folhas, frutos e pequenos galhos se espalharam ao longo de toda a avenida, o que exige uma maior atenção dos motoristas na região. Pelo menos 10 árvores caíram no Parque Parahyba 1, no bairro de Jardim Oceania Krys Carneiro/g1 Pelo menos 10 árvores caíram no Parque Parahyba I, no Jardim Oceania. No mesmo bairro, uma árvore caiu por cima de carros que estavam estacionados na calçada da Escola Municipal Frei Albino. O tapume da obra da calçadinha e da ciclovia da Avenida Cabo Branco, no final da orla do Cabo Branco, caiu, assim como algumas árvores do bloco de salas de aula do Centro de Ciências Exatas e da Natureza (CCEN) da UFPB. Árvore caiu no bloco de salas de aula do CCEN da UFPB Reprodução/TV Cabo Branco Alertas e dicas de segurança Segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), considera-se moderada a possibilidade de ocorrência de movimentos de massa no leste da Paraíba, com destaque para os acumulados prévios na Região Metropolitana de João Pessoa, devido à previsão de acumulados significativos ao longo do dia, que podem contribuir para a ocorrência de deslizamentos de pequeno porte. A recomendação da Prefeitura Municipal de João Pessoa para quem vai sair de casa nesta sexta-feira é de atenção redobrada no trânsito, para evitar se abrigar embaixo de árvores ou placas, e de abandonar locais de risco a qualquer sinal de anormalidade. Em caso de urgência, é possível acionar a Defesa Civil por meio dos números 199 e 98831-6885; e também a Semob-JP por meio do número 98760-2134. Vídeos mais assistidos da Paraíba

Dino

Deixe um comentário