Mães de Pernambuco: governo começa a pagar primeira parcela de R$ 300; saiba como se inscrever


Inscrições no programa estão abertas até o dia 20 de maio. De acordo com o governo, auxílio mensal pode beneficiar mais de 100 mil mulheres no estado. Mães de Pernambuco inicia pagamento da primeira parcela de R$ 300 Começou, nesta segunda-feira (13), o pagamento do Mães de Pernambuco, programa de transferência de renda criado pelo governo estadual. Mais de 72 mil mulheres podem receber o auxílio de R$ 300 neste mês, de acordo com o estado. As inscrições continuam abertas até o dia 20 de maio na internet (veja vídeo acima). ✅ Clique aqui para seguir o canal do g1 PE no WhatsApp. As mulheres que confirmaram seus dados no site entre o período de 25 de março a 25 de abril vão ser as primeiras a receber o pagamento, ainda neste mês de maio. Para ter direito ao benefício, as mulheres precisam atender a cinco requisitos: Morar em Pernambuco; ⁠Ser beneficiária do Bolsa Família e manter os dados do Cadastro Único (CadÚnico) atualizados; Ser a responsável pela família; ⁠Estar grávida, ser mãe ou responsável por uma criança de até 6 anos; ⁠Não ter emprego formal. O Mães de Pernambuco está na segunda fase de confirmações. As mulheres inscritas que confirmarem os dados até o prazo de 20 de maio vão receber o pagamento no quinto dia útil de cada mês, começando por junho, de acordo com o governo do estado. A confirmação de adesão ao programa deve ser feita através do portal do programa até a data-limite. Para isso, é necessário informar a data de nascimento e o Número de Identificação Social (NIS). Ainda segundo o governo, o benefício continuará ativo e sendo pago enquanto a mãe possuir filhos menores de 6 anos. Em caso de dúvidas ou dificuldades para se inscrever, é possível entrar em contato com a Ouvidoria Social, através de uma ligação gratuita para o número 0800.081.4421, pelo número de WhatsApp (81) 98494-1298 ou pelo e-mail ouvidoria@sas.gov.pe.br. Critérios de desempate Ana Carolina Fragoso, de 27 anos, é mãe de Maria Esther, de 3 anos, e uma das beneficiárias do programa Mães de Pernambuco Iris Costa/Divulgação O governo de Pernambuco informou que criou uma espécie de “ranking” para priorizar o pagamento dos R$ 300 mensais para mulheres com maior vulnerabilidade socioeconômica. Cada tópico listado a seguir equivale a um ponto utilizado como critério de desempate: Ter dependente na primeira infância; Ser gestante e beneficiária do Programa Benefício Variável à Gestante (BVG); Ser provedora de família monoparental (mãe solo); Ser pessoa com deficiência ou ter dependente com deficiência; Ser maior de 65 anos; Ser negra, parda, indígena, quilombola ou cigana; Pertencer a uma comunidade de terreiro; Atuar em atividade extrativista; Atuar na pesca artesanal; Integrar comunidade ribeirinha; Ser catadora de material reciclável; Ser assentada de reforma agrária; Ser acampada rural; Atuar na agricultura familiar; Ser beneficiária do Programa Nacional de Crédito Fundiário; Não saber ler nem escrever; Residir em local sem água canalizada; Residir em local com paredes construídas com material como taipa, palha ou madeira aproveitada; Residir em local sem banheiro ou sanitário; Residir em local improvisado adaptado para servir de moradia (casas abandonadas, construções e acampamentos em áreas rurais ou em áreas públicas como barracas e tendas); Residir em domicílios coletivos, como abrigos, pensões, alojamentos, dentre outros; Estar em situação de rua; Possuir componente familiar no sistema prisional; Ter criança em situação de trabalho infantil. VÍDEOS: mais vistos de Pernambuco nos últimos 7 dias

Celimar de Meneses

Deixe um comentário