Por G1 PE

O governo de Pernambuco informou, nesta terça (29), que foi notificado e está investigando duas mortes de pacientes com suspeita de infeção por mucormicose. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, os casos estão sendo analisados por um comitê técnico.

Causada por fungos da ordem Mucorales, a doença é conhecida há mais de um século e pode acometer os pulmões e mutilar os seios da face. Este ano, um surto foi registrado na índia.

Por meio de nota, a secretaria disse, ainda, que a informação sobre a suspeita dos dois óbitos foi repassada, esta semana, ao Centro de Informações Estratégicas de Vigilância à Saúde (Cievs-PE).

O estado informou também que vai fazer a avaliação sobre os casos “para ver se preenchem os critérios da definição de quadro suspeito para a infecção fúngica”.

No dia 6 de junho, o governo confirmou o primeiro registro de mucormicose em Pernambuco, em uma paciente que teve a Covid-19.

Segundo o estado, a mulher de 59 anos foi internada no dia 4 de junho, na enfermaria do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), no bairro de Santo Amaro, na área Central do Recife.

Ela teve alta no sábado (26) e já está se recuperando em casa, de acordo com o a secretaria. Ela passou por tratamento com corticoides.

Ao comentar esse caso, o infectologista Demetrius Montenegro, que é chefe do setor de doenças infectocontagiosas do Hospital Oswaldo Cruz, ressaltou que a doença ocorre em pessoas com baixa imunidade.

Segundo ele, a diabetes é uma comorbidade de risco tanto para Covid-19 quanto para a infecção por fungos.

Ainda de acordo com o infectologista, apesar da gravidade, a doença não passa de uma pessoa para outra.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.