Prefeito assina ordem de serviço de plano para zerar a emissão de carbono em João Pessoa


As intervenções fazem parte do programa João Pessoa sustentável. Prefeito assina ordem de serviço de plano para zerar a emissão de carbono em João Pessoa Ascom PMJP / Divulgação O prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP), assinou nesta quinta-feira (1º) uma série de contratos de ordem de serviços para a realização de iniciativas relacionadas com setores como habitação, sustentabilidade ambiental e a geração de emprego e renda. As intervenções, que fazem parte do programa João Pessoa Sustentável, incluem a construção de condomínios nas comunidades que margeiam a Beira Rio, além de um plano para reduzir a zero a emissão de carbono na cidade (veja todas as ordens mais abaixo). Plano de Descarbonização A meta do programa é zerar a emissão de carbono na cidade. Para isso, o plano vai trazer uma análise de riscos climáticos (com projeções para os anos de 2030, 2050 e 2100), e as pegadas carbônica e hídrica do município. Habitação Serão construídos três conjuntos localizados nas proximidades das oito comunidades da Beira Rio. As 565 unidades habitacionais vão ser destinadas aos moradores que vivem em área de risco. Os apartamentos terão 1, 2 ou 3 quartos e vão ser distribuídos de acordo com a necessidade de cada família que vai passar por um recadastramento. Plano de Desenvolvimento Comunitário O Plano de Desenvolvimento Comunitário é baseado nos pilares da sustentabilidade ambiental, inclusão de gênero, geração de trabalho e renda e no combate à desigualdade. O PDC vai instalar quatro Escritórios Locais de Gestão (ELOS) nas comunidades com equipe multidisciplinar para o desenvolvimento de ações voltadas para o empreendedorismo, associativismo e cooperativismo, qualificação profissional e acesso ao mercado de trabalho, respeitando, sempre, as vocações do território com inclusão de gênero e enfrentamento da violência contra a mulher. Lixão do Roger O antigo depósito de lixo vai passar por um processo de requalificação. A ideia é transformá-lo em um Parque Socioambiental de 309.496 metros quadrados de área. Mas, para que esta recuperação ambiental seja feita, é preciso fazer um diagnóstico dos níveis de contaminação do solo, usado de forma inadequada por cerca de 45 anos. A Planta Genérica de Valores A Planta Genérica de Valores (PGV) traz um mapeamento urbano da cidade com todas suas características espaciais. Junto com a PGV vão ser feitas a atualização cartográfica, cadastro imobiliário o levantamento de toda infraestrutura e serviços públicos do município como água, estacionamentos, esgoto, iluminação, rede elétrica, coleta de lixo e arborização. Vídeos mais assistidos do G1 Paraíba
G1 > Paraíba

G1 > Paraíba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.