Cantor e compositor Junio Barreto lança clipe de ‘Dois corações pertinhos’


Canção do artista caruaruense foi lançada em dezembro de 2020 e conta com participação de Tika e produção executiva de Otto. Clipe foi dirigido por Bárbara Cunha e Mary Gatis. Junio Barreto e Tika no clipe "Dois corações pertinhos" Bruna Valença/Divulgação O cantor e compositor caruaruense Junior Barreto lançou o clipe do single "Dois corações pertinhos". A canção foi lançada em dezembro de 2020, conta com a parceria da cantora, compositora e musicista paulista Tika na composição e interpretação, e tem a direção executiva do pernambucano Otto (ouça e assista abaixo). Da paisagem agrestina à saudade de 'tudinho': Junio Barreto saúda memória e se declara à 'nova' Caruaru De acordo com Junio, a canção delicada e melancólica fala sobre a ausência sentida com o fim do amor. "É a primeira música gravada de um disco de canções/baladas que sai no segundo semestre de 2021. Escrita em agosto de 2020, em plena quarentena da pandemia, em parceria com Tika”, afirma o artista de 57 anos. "É uma música que fala dos tempos de agora, das perdas, da situação do país, e de dois corações que habitam uma casa, e que ressignificam a dor do vazio que povoa na existência dos objetos", comenta Junio Barreto. Sobre o clipe de "Dois corações pertinhos" O clipe foi dirigido e roteirizado por Bárbara Cunha e Mary Gatis. Segundo a dupla pernambucana, o vídeo visa traduzir todo o sentimento de ausência e melancolia sem perder a delicadeza. “Uma criatura que nasce da dor e reconhece a liberdade na possibilidade de isolamento. Lidando com as próprias sombras, excluso do mundo, sem receio que alguma voz ou presença possa o interromper, por um momento se reconhece livre. Entende que nascer liberto é a maior grandeza do ser humano”, diz a artista visual Mary Gatis. O clipe também teve pré-estreia no festival m-v-f- reloaded e foi selecionado para o Contact Dance International Film Festival, no Canadá. Em dezembro de 2020, a parceria da dupla já rendeu um prêmio no Sans Souci Festival of Dance Cinema. Junio Barreto durante a gravação do clipe Bruna Valença/Divulgação “Para o clipe de Junio Barreto, pensamos em um filme de super oito, empoeirado, largado em uma gaveta do passado. Por isso, optamos pela narrativa em preto e branco, onde um fantasma revisita amantes que se perderam e se afastaram. A escolha de Tony Reis para o elenco foi fundamental para trazer a energia e a dor. Suave e paradoxalmente tão potente, como um Orixá, sussurrando o amor que morreu. Este trabalho foi costurado com afeto, por amigos extremamente talentosos, em uma equipe majoritariamente feminina", completa a cineasta Bárbara Cunha. A equipe produziu de forma colaborativa, seguindo todos os protocolos exigidos pela vigilância sanitária durante a quarentena por conta da pandemia da Covid-19. "O clipe foi um presente que ganhei na vida! Dirigido, produzido por uma família de amores que eu ando e tenho em São Paulo", finaliza Junio. Ficha técnica Música Junio Barreto - Voz Tika - Violão e voz Igor Caracas - Glockenspiel e percussões Meno Del Picchia - Baixo acústico e arco Junior Boca - Guitarras Gravação: Estúdio Parede e Meia Técnico de som e mixagem: Rovilson Pascoal Masterização: Leonardo Nacabayashi Produção: Junio Barreto, Otto e Rovilson Pascoal Produção executiva: Otto CondonBlack Produções Estúdio Parede e Meia Clipe Direção: Bárbara Cunha e Mary Gatis Roteiro: Bárbara Cunha e Mary Gatis Consultoria de roteiro: Paulo Caldas Montagem: Bárbara Cunha e Mary Gatis Produção executiva: Marília Viana Arte: Douglas Mathias Fotografia: Renato Stockler Figurino: Eliza Matta Maquiagem: Cris Malta Ator: Tony Reis Color grading e finalização: André Farkatt Luz: Leandro Barros Still: Hugo Sá e Bruna Valença Planejamento estratégico: Amanda Passavante Vídeos de Caruaru e Região
G1 > Caruaru e Região

G1 > Caruaru e Região

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.