POR DENTRO DAS 4 LINHAS

Por Franklin Portugal*

Eita que danada de transição lenta!… Eita que o técnico Umberto Louzer vem reclamando disso no Sport pela Série A. Explicando e traduzindo para quem não é familiarizado com os termos do futebol: transição é quando o jogador passa, com a velocidade ideal, do setor do meio campo para o ataque, achando as brechas certas entre as linhas defensivas do adversário. E o Sport tanto é lento nisso, como não consegue criar de jeito nenhum. Resultado: quando tenta atacar, falha, e ao levar os contragolpes acaba errando também, como no último domingo, ao perder pro Palmeiras, por 1×0, na Ilha do Retiro. A outra derrota em casa foi pro Atlético-MG, também 1×0. Agora o Sport está com 6 pontos na porta do Z4, o São Paulo é o primeiro da zona da degola com 5 pts. Se não resolver o problema, vai ter trombada de novo e dessa vez amanhã (07) diante do Atlético Goianiense, em Goiânia, às 19h15. Podendo sim entrar de vez na zona de rebaixamento, o que foi problema do time também no ano passado, vejam só, o pesadelo persiste.

A mesma estrada penosa é percorrida pelo Santa Cruz. Tem os mesmos problemas, agora uma situação pior por tá na Série C. O Santa é lento na transição. No ataque é inoperante. Sem velocidade, sem movimentação certa dos homens de frente pra se livrarem dos marcadores e encontrarem espaços, nada funciona no tricolor. Veja que em 6 rodadas, o Santa não tem uma única vitória. E é o lanterna do grupo dele. Isso é muito grave. Vai atingir a margem de não mais pensar em classificar-se pra próxima fase, mas lutar pra não cair pra Série D. À situação não é boa. Porque não existe nenhuma melhora ou perspectiva disso. No último jogo, no Arruda, derrota por 2×1 para o Paysandu. Agora, no próximo sábado, tem o Altos no Piauí, às 17h.

Pela Série D, o Central está a 3 pts. de entrar no G4 do grupo 3. Empatou em 0 x 0 com o Sousa, na Paraíba. E agora, pegará o ABC, no Rio Grande do Norte, no domingo (11), às 16h.

O Retrô empatou em 0 x 0 com a Juazeirense, na Arena de Pernambuco, e voltará à Arena para enfrentar o Asa de Arapiraca, no próximo domingo, às 16h. Tá no G4 do grupo 4.

Se alguém sentiu falta, até aqui da coluna, foi de propósito. Eu deixei pra falar dele por último: o Náutico. Isso pra querer encerrar positivamente, já que o Timbu não sabe o que é perder nessa Série B. É líder com 21 pts. Em 9 jogos, tem 6 vitórias e 3 empates. Joga de forma organizada. O que os nossos outros representantes de Pernambuco não têm, o Náutico tem. Lembra-se da tal transição? Pois é, ela acontece de forma fluída no alvirrubro, sem aperreio, e tudo se encaixando quando a bola sai da defesa, e vai pro meio de campo, e segue para o ataque, pelo centro ou nas pontas. A última vítima do time pernambucano foi o Operário (PR), nos Aflitos, por sonoros 5 x 0. Pela décima rodada, na próxima sexta-feira (09), enfrenta o Goiás, em Goiânia, às 21h30.

Os outros clubes de nosso Estado nas divisões do Campeonato Brasileiro precisam aprender a transição, da parte inferior, para a superior das tabelas.

*Franklin Portugal é repórter da TV Asa Branca – Afiliada Globo em Caruaru – e colabora semanalmente com crônicas esportivas para o Blog PE Notícias.

O post POR DENTRO DAS 4 LINHAS apareceu primeiro em Blog do Marcello Patriota.

Marcelo Patriota

Marcelo Patriota

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.