Dona de casa ‘proibida’ de se vacinar em RO após erro de dados na PB consegue tomar 1ª dose contra a Covid


Inicialmente mulher achava que tinha sido vítima de uma fraude, no entanto, de acordo com a CGU, foi um caso de erro no preenchimento de informações na vacinação da Paraíba. Inicialmente a mulher achava que o caso de tratava de uma fraude, no entanto, de acordo com a CGU, foi um caso de erro no preenchimento de informações. Thiago Santos/Reprodução A dona de casa Mária de Fátima Simplício de Souza, de 55 anos, que não conseguia se vacinar contra a Covid-19 em Porto Velho pois o sistema indicava que ela havia recebido duas doses na Paraíba, conseguiu tomar a primeira doses do imunizante nesta quarta-feira (7). A história de Maria foi mostrada pelo G1 na-segunda-feira (5). Inicialmente a mulher achava que o caso dela se tratava de uma fraude, ou seja, onde alguém teria utilizado os dados dela para tomar a vacina. No entanto, de acordo com a Controladoria Geral da União (CGU), o caso da dona de casa foi um erro no preenchimento de informações na Paraíba. “Foi vacinada realmente uma pessoa com o nome muito parecido com o dela. Provavelmente lançaram lá o nome e vinculou ao CPF dela aqui [em Rondônia]”, revela o superintendente da CGU, Miguel Maurício. Miguel relembra que no início da vacinação contra a Covid-19 não era exigido o CPF da pessoa, o que facilitou o engano. Atualmente o documento é obrigatório na hora da vacinação. “A gente vai orientar a prefeitura a deixar a ficha dela separada pra lançar depois que nós corrigirmos isso lá no município de Emas (PB)”. Ao G1, a prefeitura de Porto Velho informou que a situação foi resolvida e Maria recebeu o imunizante nesta quarta-feira na faculdade Uniron. “Quem tomou a vacina na Paraíba foi Maria de Fátima Simplício de Sousa (com S), e não com Z, como é o nome da moradora de Porto Velho”, informou a Secretaria Municipal de Saúde. Após receber a 1ª dose da vacina contra o coronavírus, Maria falou sobre o fim de uma 'agonia'. “Depois de tanta luta, tanta batalha, tanto medo de não conseguir me vacinar, eu tô feliz, com uma sensação de segurança”, revelou. Maria se diz aliviada após receber a primeira dose em Porto Velho Thiago Santos/Arquivo pessoal Ela ainda reforça que vai ficar mais realizada ainda quando tomar a segunda dose e ficar realmente segura. Confusão O sistema e-SUS apontava que Maria Simplício de Souza teria tomado a primeira dose dia 30 de março de 2021 e a segunda dia 24 de abril de 2021. Ao ir no local de vacinação em Porto Velho, no dia 29 de junho, a dona de casa foi informada que seus dados teriam sido usados para vacinação contra a Covid-19 em uma unidade de saúde da Paraíba. “Na hora da vacinação eles pedem o cartão do SUS. Aí a moça falou: ‘dona Maria, a senhora já tomou alguma vacina?’ E eu respondi que não. Aí ela disse: ‘pois a senhora já tomou sim. Eu achei estranho por que não viajei pra lá nem tenho nenhum parente na Paraíba”, contou. Sistema e-SUS indica que Maria já tomou vacina Reprodução
G1 > Paraíba

G1 > Paraíba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.