Sputnik V deve chegar a Pernambuco nos próximos 15 dias, diz secretário de Saúde

Por Fabio Nóbrega – Portal Folha PE

A vacina russa contra a Covid-19 Sputnik V deve chegar ao Brasil ainda em julho, nos próximos 15 dias, segundo detalhou o secretário estadual de Saúde de Pernambuco, André Longo, em coletiva de imprensa, na terça-feira (6).

O lote com as doses do imunizante produzido pelo laboratório russo Gamaleya chegará ao Aeroporto Internacional do Recife, de onde deverá ser distribuído. A data exata desse desembarque no terminal aéreo pernambucano depende de acertos.

“O processo [de importação] tem avançado em vários grupos de trabalho, junto à Anvisa e ao Fundo Soberano Russo para atender a todas as condicionantes que foram impostas para liberação de importação e uso”, explicou Longo, que participou, na terça, de uma reunião com o Consórcio Nordeste – entidade responsável pelo contrato de importação com o Fundo Soberano Russo.

Neste primeiro momento, a Sputnik V será distribuída a seis estados do Nordeste. Pernambuco deverá receber cerca de 192 mil doses do imunizante russo.

O estado da Bahia foi autorizado a importar 300 mil doses; o Maranhão, 141 mil doses; Sergipe, 46 mil doses; o Ceará, 183 mil doses; e o Piauí, 66 mil doses.

“Estamos agora ultimando os detalhes para viabilizar esse processo de importação. Devemos ter uma posição mais firme em relação a datas nos próximos dias, essa é a nossa expectativa”, concluiu o secretário de Saúde.

Importação e uso da Sputnik V
No início de junho, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a importação excepcional de doses da Sputnik V para seis estados do Nordeste, incluindo Pernambuco. Na segunda quinzena, a agência liberou outros sete estados para a importação de mais doses.

As restrições impostas pela Anvisa para importação da vacina russa não permitem a vinda das 37 milhões de doses fechadas em contrato com o Consórcio Nordeste num primeiro momento.

Cada estado receberá uma quantidade suficiente para duas doses de 1% da população e só poderá aplicar em adultos de 18 a 60 anos de idade ainda não vacinados e sem comorbidades.

Todos os lotes dos imunizantes importados somente poderão ser destinados ao uso após liberação pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).

Joao Paulo Pereira

Joao Paulo Pereira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.