Protesto de moradores interdita trânsito na Avenida Pedro II, em João Pessoa


Ato é por mais diálogo em relação ao projeto João Pessoa Sustentável, que prevê remoção de famílias de comunidades para construção de parque. Prefeitura diz que diálogo já existe desde a gestão anterior. Moradores fecharam a Av. Pedro II no sentido Bairro - Centro, na manhã desta segunda-feira (8) Reprodução/Semob-JP Um protesto realizado por moradores da comunidade São Rafael, no Castelo Branco, interditou a Avenida Pedro II, um dos principais acessos da Zona Sul ao Centro de João Pessoa, no início da manhã desta segunda-feira (8). O ato começou por volta das 6h e o trânsito está sendo desviado pela BR-230, por agentes de mobilidade urbana. De acordo com João Batista, um dos coordenadores do ato, os moradores desta e de outras sete comunidades da capital, estão reivindicando que a Prefeitura de João Pessoa reveja o programa João Pessoa Sustentável, que prevê a construção de um parque. Segundo os moradores, cerca de 900 pessoas vão ter as casas removidas destas comunidades, incluindo a São Rafael, e que a construção deste parque vai interferir na vida destas famílias. Os moradores querem um diálogo com a prefeitura para melhorar a situação do projeto. “Precisamos de um projeto digno de urbanização das comunidades, porque o que está sendo colocado é uma higienização humana. Querem tirar as pessoas das comunidades, sem garantia de onde vão morar. É uma luta de muito tempo, nós temos discutido esta situação desde 2018, para que a prefeitura venha discutir com as comunidades”, diz Batista. Interdição causou engarrafamento na Av. Pedro II e trânsito está sendo desviado pela BR-230 Reprodução/Semob-JP Em nota, a assessoria de imprensa do Programa João Pessoa Sustentável informou que o programa envolve várias secretarias da Prefeitura e que desde o início existe o diálogo com os moradores. Conforme a nota, desde a gestão anterior à atual que o trabalho é feito para que o projeto seja aplicado com sustentabilidade. O texto diz ainda que escritórios foram instalados nas comunidades com o objetivo de levar informações e trazer levantamento para saber quem estava ou não em área de risco, e que apenas estas famílias devem ser relocadas para cinco opções: residenciais que vão ser construídos na Avenida Beira Rio; compra assistida em localidades que atendam às exigências do programa; troca de beneficiário; indenização; ou aluguel rotativo. Conforme a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana da Capital (Semob-JP), o acesso da BR-230 para a Avenida Pedro II foi fechado. Por causa do protesto, a orientação de quem segue no sentido Bairro-Centro é seguir pelo Castelo Branco, pelas avenidas Tito Silva e Epitácio Pessoa; ou pela alça da BR-230, depois pela alça da avenida Beira Rio e, em seguida, para o Centro. Também por causa do protesto, há um fluxo intenso na BR-230 no sentido Cabedelo-João Pessoa, no trecho do Hospital de Emergência e Trauma da capital até às proximidades do viaduto da Pedro II. Também há fluxo intenso na Via Expressa Padre Zé, no sentido Centro. Vídeos mais assistidos da Paraíba
G1 > Paraíba

G1 > Paraíba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.