Twitter fecha escritório em Bruxelas e gera temores de segurança digital, diz jornal

O Twitter desativou seu escritório em Bruxelas, na Bélgica. A informação foi divulgada pelo jornal americano Financial Times e gerou preocupações entre as autoridades da União Europeia sobre a adesão da plataforma às novas (e rígidas) regras do bloco sobre o gerenciamento de conteúdo digital e controle de divulgação de informações falsas e discurso de ódio.

De acordo com fontes do jornal, os dois responsáveis pela política digital do Twitter na Europa, Julia Mozer e Dario La Nasa, deixaram a companhia na semana passada em circunstâncias ainda não esclarecidas.

A saída da dupla aconteceu na semana em que Musk fez um ultimato aos funcionários informando que todos os colaboradores tinham até a noite do mesmo dia para decidirem se queriam continuar trabalhando na empresa — em novas condições — ou se preferiam sair e receber uma indenização que corresponde a três meses de salários. Na mensagem, Musk informou que, para continuar, seria preciso trabalhar “longas horas em alta intensidade”.

Boa parte da equipe de Bruxelas já havia saído da empresa no começo do mês, durante os cortes de cerca de 5% no pessoal, mas Mozer e La Nasa continuaram na empresa por mais alguns dias. Os executivos estavam à frente do projeto de conformidade da companhia para para cumprir o código de desinformação e a Lei Geral de Proteção de Dados do bloco, que entrou em vigor neste mês e que inspirou a versão brasileira da legislação.

O escritório de Bruxelas era uma das menores representações da companhia em termos de pessoal, mas era considerado crucial para os formuladores de políticas europeus e levantou dúvidas sobre a capacidade ou mesmo vontade da empresa de garantir a conformidade com as leis locais de policiamento de conteúdo na internet.

Ao Financial Times, Vera Jourová, vice-presidente responsável pelo código de desinformação da UE, disse que está preocupada com a notícia da demissão de uma quantidade tão grande de funcionários do Twitter na Europa e afirmou: “se você deseja detectar e agir com eficácia contra a desinformação e a propaganda, precisa de recursos. Especialmente no contexto da guerra de desinformação russa, espero que o Twitter respeite totalmente a lei da UE e honre seus compromissos. O Twitter tem sido um parceiro muito útil na luta contra a desinformação e o discurso ilegal de ódio, e isso não deve mudar.”

Não foi apenas o escritório belga que sofreu com a saída de executivos em posições-chave para para lidar com autoridades do governo deixaram subitamente a organização nas últimas semanas devido aos cortes generalizados.

#Tchau

As polêmicas em torno da rede social têm afugentado anunciantes. Ontem (23), as marcas da Volkswagen suspenderam todas as atividades pagas no Twitter até novo aviso, disse um porta-voz da empresa. A Volkswagen é mais uma das empresas a deixar de anunciar no Twitter após a compra da rede social pelo bilionário Elon Musk e se junta agora com a seguradora Allianz, a farmacêutica Pfizer e a montador General Motors.

 

 

The post Twitter fecha escritório em Bruxelas e gera temores de segurança digital, diz jornal appeared first on InfoMoney.

Mariana Amaro

Mariana Amaro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.