Ampliando cortes nas fintechs, Meliuz (CASH3) faz demissões em massa

Com ações na bolsa, Meliuz devolve dinheiro em compras online

A lista de empresas de tecnologia que fizeram demissões em massa não para de crescer. Desta vez, o processo vem da Meliuz (CASH3), uma empresa que oferece cashback em compras online, que cortou 59 funcionários nesta quarta-feira (18). Isso representa 6% do quadro de funcionários.

Segundo a companhia, a demissão é fruto de uma reestruturação interna que tem objetivo de aumentar a eficiência operacional e se adaptar ao cenário macroeconômico. Essa tem sido, inclusive, quase que uma resposta padrão para todas as empresas que demitiram nas últimas. Em geral, o impacto chegou às áreas de Marketing, RH, entre outros

“Apesar do Méliuz estar em uma posição confortável por possuir um caixa robusto, foi necessário ajustar os planos, assim como muitas empresas de tecnologia fizeram, para nos adaptarmos ao cenário macroeconômico desafiador e incerto que se instaurou após a pandemia.

Diante da alta taxa de juros, inflação alta e, consequentemente, um e-commerce menos aquecido, é preciso garantir a saúde financeira da companhia para que a operação continue saudável, rentável e em crescimento”, disse Israel Salmen, CEO e fundador do Méliuz.

A empresa garantiu que vai dar apoio aos funcionários impactados, oferecendo um pacote adicional que inclui, além dos direitos legais, indenização, plano de saúde estendido e auxílio na recolocação no mercado. A empresa também garantiu que os usuários não sofrerão nenhum impacto no uso dos serviços.

A notícia das demissões em massa surge duas semanas depois do anúncio de que o banco BV comprou 3,85% das ações da Meliuz, com a possibilidade de ampliar a aquisição para 20% e passar a controlar a companhia. Com o movimento, a BV também adquiriu metade da Bankly, subsidiária de banking as a service (BaaS) por R$ 210 milhões.

Só nesta semana, ao menos duas outras fintechs demitiram parte de seus funcionários. A PagSeguro, por exemplo, dispensou 500 colaboradores de uma vez, enquanto o Will Bank não divulgou a extensão do corte.

Meliuz chegou à bolsa há dois anos

As ações da Meliuz foram listadas na B3 em novembro de 2020, em um período que registrou a chegada de diversas startups no mercado de capitais. Na época, a empresa conseguiu levantar um capital de R$ 367 milhões, com cada papel negociado a R$  10.

Passados pouco mais de dois anos, cada unidade do ticker CASH3 é adquirido por pouco mais de R$ 1, conforme fechamento do mercado nesta quarta-feira (18). No acumulado de doze meses, a queda do ativo já chega a marca de 60%.

The post Ampliando cortes nas fintechs, Meliuz (CASH3) faz demissões em massa appeared first on InfoMoney.

Wesley Santana

Wesley Santana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.